Energias renováveis: taxas de juros

Está provado que em geral, recorrer às linhas de crédito específicas para a compra de equipamentos de energias renovável compensa face ao crédito pessoal normal. A maioria dos créditos para painéis solares é mais barata do que o crédito pessoal. As Escolhas acertadas permitem poupar mais de 200 euros por ano. Mas alguns bancos anunciam taxas acima das legais.

Melhorar o desempenho ecológico e reduzir a factura da luz é cada vez mais uma preocupação dos consumidores. Mas o custo dos equipamentos, que usam energias renováveis, pode ser um entrave à acção. Como forma de incentivar o uso de tecnologias verdes, o Governo criou em 2009 um incentivo à compra de painéis solares, bem como uma linha de crédito. O incentivo durou menos de um ano, mas a possibilidade de pedir financiamento para este fim continuou.
Deduza 30% dos gastos no IRS

Para 2010, os contribuintes podem deduzir à colecta 30% do que gastarem em equipamentos com energias renováveis, obras de melhoria térmica (isolamento térmico e janelas eficientes, por exemplo) ou carros exclusivamente eléctricos, até 803 euros. Para aproveitar a dedução ao máximo, invista 2676,67 euros. Como cada uma destas deduções só podem ser usadas uma vez em quatro anos, faça um plano de investimentos. Pode comprar painéis solares este ano e deixar as obras ou o carro para 2014, por exemplo.
Se decidiu comprar um painel solar fotovoltaico, a energia que produzir através de co-geração e introduzir na rede dá lugar a um rendimento. Este não é tributável para efeitos de IRS, ou seja, não tem de ser declarado no modelo 3 do IRS. Mas atenção: a Direcção-Geral de Energia e Geologia só está a emitir licenças para o regime normal. Ou seja, pagam a energia vendida pelo consumidor ao mesmo preço que este a paga ao fornecedor. Pode pedir a licença no sítio Renováveis na hora em www.renovaveisnahora.pt

Comments

Deixar comentário